Fotografia de cinema: a verdadeira mágica das telonas

A fotografia, como todos sabem, é a mãe do cinema. As primeiras imagens cinematográficas foram uma animação de fotogramas (quadros sequenciais), capturadas em um curto espaço de tempo entre si, criando a ilusão de movimento.

Fotogramas 1878

Essa combinação de técnicas deu tão certo que, com a tecnologia foi possível que as imagens se tornassem melhores, tanto nas fotografias quanto nos filmes que se produziam, passando do cinema mudo, com imagens e inserts de texto apenas com uma trilha sonora até os requintes computacionais que, atualmente são vistos em qualquer filmes, por mais simples que possa nos parecer.

Esta evolução, assim como todas os grandes desenvolvimentos, criou um olhar diferente para a fotografia, sendo usada como um elemento primordial para a construção de imagens e transmissão de conceitos, no mundo da comunicação e do entretenimento.

As técnicas de criação de efeitos visuais se tornaram uma das maiores características do cinema, gerando categorias específicas para que possam se desenvolver e contribuir para uma melhor percepção dos mundos imaginários que a ficção científica cria, ou mesmo pequenos detalhes que o mundo real, mostrado pelas personagens de dramas, possa parecer muito mais intenso.

Tudo isso pode ser percebido por existir o Diretor de Fotografia dentro da equipe destas produções. Talvez, o profissional mais importante, depois do diretor do filme (quando não são a mesma pessoa).

Esta pequena introdução serve para percebermos o qual importante é a fotografia. E o quão despercebida ela passa em nosso dia a dia, quando assistimos aos nossos filmes e séries preferidos. A seguir, uma lista de alguns filmes onde a fotografia executa seu papel principal, não ser notada, mas intensificar o enredo do filme de tao maneira, que ele não existiria sem ela:

Vale lembrar que não há a intensão de analisar os filmes citados, assim como não se pretende cobrir de explicações técnicas sobre fotografia, mas um relato conciso das impressões sobre cada um e a relevância da fotografia em 5 filmes atuais.

O Regresso (2015)

O filme traz uma sensação de imensidão e vazio, propositalmente construída por uma lente angular, o que intensificou a visão do expectador, que se prende em pensamentos e olhares perdidos devido a profundidade das cenas e ao clima introspectivo da personagem. Rendeu ao diretor de fotografia Emmanuel Lubezki, seu terceiro Oscar consecutivo, pela Melhor Fotografia.

Birdman (2015)

O diretor de fotografia Emmanuel Lubezki, levou o Oscar pela Melhor Fotografia deste título onde o tormento de um ator se constrói em imagens quase lúdicas com grandes planos que se abrem em diversas sequencias, passeando por cenários e personagens como se a câmera fosse elemento vivo no enredo.

A Vida Secreta de Walter Mitty (2013)

Baseado em um conto de James Thurber, de 1939, traz Ben Stiller como diretor e protagonista. As belas cenas mostram com cautela a elaborada história, mas, apresenta uma imagem em câmera lenta que conta muito mais. Por tratar do olhar de uma pessoa que vive entre fotografias, retrata a imensidão da mente e dos caminhos que ela pode seguir, imaginando roteiros por onde só conhece por imagens fotográficas.

Gravidade (2013)

Poderia se chamar Asfixia! O diretor de fotografia Emmanuel Lubezki (sua primeira vitória do Oscar 2014), trouxe uma visão espacial completamente sutil de um tema tão explorado e repleto de clichês, abordou a imensidão do espaço de maneira tão coerente que as imagens parecem terem sido realizadas naquele momento, devido ao vigor que se dá, principalmente na sequência inicial.

Moonrise Kingdom (2012)

Ambientado nos anos 1960 e com roteiro de Wes Anderson e Roman Coppola, busca recriar o clima de rebeldia que havia no período. A direção de fotografia de Robert Yeoman trabalha construindo recortes com cores pastéis em contraste com paisagens, notadamente bastante coloridas, se tornam elementos imaginários das personagens. As cores, os ângulos, planos bem construídos ilustram uma mistura de sensações e sentimentos, que dão suporte ao enredo.

E a pergunta agora dever ser, porque somente 5 filmes? Para que não ficasse extenso como um livro e, não seria possível em tempo hábil, listar todos os filmes da história do cinema, além de poder ter outras abordagens sobre o assunto. :.:

Este sou eu! Professor universitário, pai, publicitário, não nessa ordem! Mestre em Design (Editorial) pela FAAC-Unesp, de Bauru. Atualmente Docente no curso de Moda da FAIP, em Marília/SP; Typedesigner na SeaTypes (www.myfonts.com), produtora de fontes digitais.

163