A interdependencia Design e Capitalismo.

A interdependencia Design e Capitalismo.

Vivemos em uma era de prosperidade tecnológica onde a produção de itens e artefatos é cada vez mais simples e o consumo dos mesmos está ligado a um meio de vida crescente adotado pelas pessoas do mundo todo, independente da classe social ou meio em que vivem.
Além de um meio de vida, o consumismo engloba uma necessidade pessoal de se destacar das demais pessoas por meio da utilização de determinados itens, que representam um status de riqueza ou poder, o qual muitos querem ostentar.
Toda essa demanda por novos produtos nos faz pensar em como o capitalismo influencia na concepção do design.
Seria ingenuidade dizer que não há uma relação entre o design de produtos e o capitalismo, visto que, ao se projetar um produto, um dos processos analisados para a viabilidade de produção do mesmo é um levantamento de dados a respeito do público-alvo e disposição do mercado, pois há um grande investimento inicial e uma necessidade de retorno financeiro.
De acordo com Landim (2010), o design de um ponto de vista global envolve a concepção e o planejamento de todos os produtos elaborados pelo homem como forma de melhorar sua qualidade de vida, simultâneo a isso, o interesse do homem em transformar esses produtos em negócios lucrativos e criar produtos competitivos, foi o que conduziu à evolução e diversidade do design.
Há de se concordar que o design de produtos tem com objetivo facilitar nosso meio de vida, oferecendo uma alternativa simples e prática para os problemas do nosso dia-a-dia, além de estar atrelado a um meio de evolução da percepção humana quanto às formas e cores.
Se não houvesse um valor a ser pago pelos produtos desenvolvidos não haveria uma forma de se investir em pesquisas com tecnologia de produção, materiais e procedimentos, tão necessários para a concepção dos produtos mais avançados, além de tornar a profissão do designer banalizada no mercado de trabalho.
Toda essa facilidade de venda e compra movimenta o mundo do design e encoraja os designers a conceber cada vez mais produtos de alta qualidade e que atendam a todas as necessidades de seus usuários, pois com a disputa pelos consumidores, um produto de excelência é sempre mais valorizado no mercado do que um produto não funcional.
Toda essa competição pelo público-alvo contribui para a contínua evolução formal e funcional dos produtos.
Concluímos que o design depende do capitalismo para sua existência, pois sem investimento em pesquisas para melhorar os produtos existentes ou criar novos produtos não haveria um desenvolvimento no setor de produção. O capitalismo está atrelado ao design reciprocamente, pois gera movimentação de capital pela compra e venda de produtos o que acaba financiando futuros projetos e proporcionando a evolução contínua do design de produto.

REFERÊNCIAS

LANDIM, Paula da Cruz. Design, empresa, sociedade. 2010. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010.

Ricardo Bonizoli

Formado em Design de Produto pela Universidade Estadual de Maringá - UEM, adora design gráfico, web e produtos inovadores. Criador e redator do blog, busca inspiração em todos os cantos e áreas do conhecimento.

No comments yet. Be the first one to leave a thought.
Leave a comment

Leave a Comment